Liderança: Ocidental X Oriental

04/04/13 08:00
 
Imprimir esta pagina
Texto 
Liderança: Ocidental X Oriental

As próximas décadas reservam um grande crescimento para a economia chinesa, com estimativa de até mesmo superar os Estados Unidos e tornar-se o país mais importante do mundo no âmbito econômico.

Neste contexto, multinacionais de todos os países têm se instalado na China, e as corporações do país estão se expandindo para além de suas fronteiras. Com este cenário internacionalizado, executivos de países ocidentais, inclusive brasileiros, têm se acostumado a ter subordinados chineses, por exemplo, e vice-versa.

Uma pesquisa realizada em quatro países, China, Estados Unidos, Alemanha e Austrália, conduzida pela Hogan Assessments, revelou as diferenças entre gestores orientais (chineses, especificamente) e ocidentais.

Os pesquisadores aplicaram testes em 992 gestores chineses, e compararam os resultados com os mesmos testes realizados com gestores daqueles países ocidentais. “As conclusões deste estudo são surpreendentes porque quebram alguns paradigmas e preconceitos que nós temos em relação ao estilo de gestão dos orientais em geral, e do chinês, em particular”, afirma Roberto Santos, sócio-diretor da Ateliê RH, distribuidor nacional dos testes Hogan no Brasil.

Os testes foram feitos com as ferramentas desenvolvidas pelo psicólogo Robert Hogan, fundador da Hogan Assessments, e pioneiro no desenvolvimento de uma metodologia de avaliação da personalidade, valores e motivações comportamentais, específica para o mundo corporativo.

Na análise da pesquisa, é possível perceber que, quanto à personalidade, os líderes chineses são mais participativos em seu processo decisório e dão mais apoio aos esforços de suas equipes do que os gestores ocidentais.

Em se tratando de comportamentos em momentos de estresse ou crise, os chineses tendem a apresentar quatro características mais destacadas em relação a seus pares ocidentais: podem apresentar mais oscilações de humor e entusiasmo com pessoas e projetos (Temperamental); podem se alienar e se isolar dos outros, indiferentes a suas expectativas (Reservado); podem parecer prepotentes e intimidadores (Arrogante); ou ainda podem se mostrar cordatos e bajuladores de seus superiores (Obsequiosos).

As motivações e valores pessoais também são um diferencial. Os chineses demonstraram ter um alto nível de altruísmo, indicando que se importam com o bem estar coletivo e que acreditam que o trabalho individual contribui para uma iniciativa maior. Além disso, os testes indicaram que os gestores orientais se preocupam com os aspectos estéticos - aparência pessoal, limpeza e organização do ambiente físico em que trabalham.

“A máxima dos profissionais de recrutamento e seleção “colocar a pessoa certa no lugar certo”, muitas vezes, se prende aos aspectos técnicos ou funcionais de um cargo, esquecendo-se daqueles de natureza psicológica ou cultural, algo que os chineses levam em conta”, destaca Santos.



Envie seu comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Ticket e Gestão. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.




Contador de páginas