Blog > Gestão de pessoas> Quais os principais erros de gestão de pessoas que podem ser feitos e como evitá-los

Quais os principais erros de gestão de pessoas que podem ser feitos e como evitá-los

Quais os principais erros de gestão de pessoas que podem ser feitos e como evitá-los

 

Os erros de gestão de pessoas são delicados por tratar exatamente do capital humano das empresas. Qualquer ruído pode significar um efeito cascata, envolvendo subjetividades e muito cuidado em lidar com cada situação. Para evitar esse cenário, reunimos quais os principais erros de gestão de pessoas que podem ser cometidos e como evitá-los. Confira:

> Quer saber mais sobre Gestão de Pessoas? Confira nosso guia completo sobre o assunto!

 

Processo seletivo não planejado

O processo seletivo, no final das contas, serve como a porta de entrada para sua empresa. A ponta que acolhe e seleciona quem mais está alinhado com a cultura do seu negócio. Não planejar, não ter diretrizes bem estabelecidas sobre como criar um processo sólido e coerente, pode gerar uma dor de cabeça desnecessária. Alta rotatividade de funcionários, perfis que não se enquadram com o ambiente da empresa, inúmeras questões burocráticas. Dessa forma, é essencial contar com um bom planejamento para o processo seletivo, com critérios bem definidos para a vaga, evitando esses erros de gestão de pessoas. 

 

Falta de estratégia

Concordamos que um dos fundamentos de gestão de pessoas é investir no crescimento dos seus colaboradores. Certo. Mas isso tem que ser feito estrategicamente. Não é puro altruísmo. É uma relação de investimento nos dois lados – e por isso, o investimento nos seus profissionais deve ser feito com um planejamento, de modo que os potencialize e, da mesma maneira, te traga retorno. Para evitar isso, é recomendado estabelecer objetivos para cada iniciativa, que de preferência estejam de acordo com as metas da empresa como um todo.

 

Comunicação confusa ou inexistente

Comunicar clara e diretamente, sempre com alteridade pelos diferentes contextos, é com certeza o coração de como colocar uma gestão de pessoas em prática de forma eficiente. Em reuniões, ambientes os quais são compartilhadas diversas ideias – e todos devem se sentir respeitados para expressá-las. Em feedbacks, onde o equilíbrio entre o profissional com o lado humano deve acima de tudo não ferir, mas ajudar.

 

Foco excessivo no lucro

Pessoas são seu negócio. São elas que geram seus recursos. Seus recursos são seu lucro. Pesar a mão nisso pode ser um erro. Os principais problemas gerados pelo foco no lucro é criar um cenário oposto aos fundamentos da gestão de pessoas, com uma equipe desmotivada, desconfiança entre colaboradores e consequentemente performance abaixo do esperado. Para evitar essa situação é importante não focar somente nos resultados que os profissionais têm a oferecer, mas no cenário mais geral, ou seja, no seu desenvolvimento ao longo do tempo.

 

Feedbacks que não acrescentam

Deve-se evitar só criticar negativamente um funcionário ou então criticar traços da personalidade que ele talvez não consiga mudar. Nesse caso, por exemplo, se alguém é naturalmente tímido, dificilmente vai deixar de ser, ainda mais em um curto espaço de tempo. O foco deve ser em qualidades e defeitos relacionados ao desempenho no trabalho, como pontualidade, profissionalismo, entrosamento com o time, entrega, entrega.

 

Falta de oportunidades de treinamento

Todo mundo é um eterno aprendiz. Não tem para onde fugir. Há sempre algo que possa ser melhorado, desenvolvido, agregado. Conhecimento nunca irá machucar. Ainda mais falando de um mercado que exige uma cada vez mais rápida atualizações de habilidades. Além de motivar, de reter seus funcionários, você se mantém competitivo nos negócios.

 

> Nós temos um e-book sobre Gestão de Pessoas. Complete sua leitura com diferentes formatos Ticket. Baixe gratuitamente aqui!

Usamos cookies para obter informações estatísticas, melhorar sua experiência de navegação e para personalizar conteúdos e anúncios. Para mais informações, acesse nossa Central de Privacidade.