Blog > Gestão Financeira> O que é gestão financeira e por que fazer?

O que é gestão financeira e por que fazer?

O que é gestão financeira e por que fazer?

 

Gerir suas finanças é gerir seus recursos e, principalmente, como melhor utilizá-los e multiplicá-los. É o coração do seu negócio, porque quando falamos de recursos, envolve a viabilização das demais áreas, ainda mais se precisam de um orçamento para um projeto específico. 

Em outras palavras, gestão financeira é o radar do que entra e do que sai, de um jeito que você mantenha a saúde das finanças do seu negócio. Para isso, os pilares de uma gestão eficiente é otimizar, para na outra pronta gerar mais resultados, desenvolvendo planos estratégicos para aumentar a eficiência das suas operações.

O gestor dessa área atua no planejamento financeiro, análise dos resultados, controle de fluxo de caixa, captação de recursos, gestão de cobranças, análise de investimentos, controle de contas a receber e a pagar, entre outras coisas.

Se não realizada, as coisas podem ficar bem confusas, gerar resultados bem negativos para sua empresa e, no pior cenário, levá-la a fechar as portas. 

 

Por que a gestão financeira é importante?

Como dissemos, gerir suas finanças é gerir seus recursos. Ter recursos é o que sustenta sua estrutura. Você tem uma visão ampla e aprende como gerenciar seu capital, para tomar decisões mais assertivas no momento de destinar o que e para onde.

A área responsável pela prática possui um caráter mais restritivo e limitador, pela responsabilidade que tem em mãos. Alocar ou não um investimento para um projeto pode influenciar diretamente a saúde e lucratividade do seu negócio.

Consiste em um trabalho altamente estratégico e de acordo com o planejamento. Caso contrário, ela pode estar sujeita a gastos excessivos e descontrole do fluxo de caixa e do capital de giro. 

Para evitar esse cenário, a organização deve contar com quatro passos principais, que são: planejamento financeiro, acompanhamento, controle e análise.

 

Planejamento financeiro

 

Estudar, estudar e estudar. Analisar tudo. Como está a situação atual do seu negócio, quais são os objetivos dele, as oportunidades para alcançá-lo, como chegar lá e as métricas para avaliar as condições do percurso. Para dar conta de todas as etapas, geralmente é feito planejamentos estratégicos, táticos e operacionais.

Por exemplo, é preciso acompanhar a análise da situação financeira, entender quais os investimentos que fazem mais sentido no momento, estabelecer metas de lucratividade assim como seus prazos e mais. 

 

Planejamento estratégico financeiro

 

Esse é um planejamento a longo prazo. Ao entender que o mercado muda numa velocidade maior do que a planejada, deve ser uma estratégia menos detalhada e mais flexível, mas estimar coisas de maior porte, como tamanho da empresa e quanto ela precisará lucrar para se manter.

 

Planejamento tático financeiro

 

Aqui você se torna capaz de mapear as principais ações que serão tomadas pela empresa no médio prazo, assim como os caminhos a serem seguidos para alcançar os objetivos. Aqui a gestão financeira teria uma visão muito mais clara de como deve estar o controle financeiro, entrando em alguns detalhes como fluxo de caixa e investimentos.

 

Planejamento operacional financeiro

 

Esse é o de tiro rápido. Planejamento de um ano. Coisas do dia a dia, como nos próximos meses, para manter a empresa saudável e lucrativa. Nele, podem ser envolvidos inclusive outras áreas da empresa para realizar o controle de projetos também.

 

Acompanhamento dos processos

 

Praticar é acompanhar. Acompanhar para detalhar os erros e os acertos e sugerir os melhores caminhos. Isso significa realizar cobranças e supervisionar tudo o que é feito, evitando que a área se perca e prejudique a estrutura da empresa.

 

Controle das estratégias e metas

 

Enquanto acompanhar é sobre entender se a área está funcionando como um todo e na direção correta, realizar o controle dela é olhar mais a fundo. Nele, é preciso ficar muito atento aos resultados que são gerados e se eles estão indo de acordo com o planejado nas estratégias. Todas as métricas importantes precisam passar pelo controle constante, talvez até diário.

 

Análise dos resultados

 

É a partir das métricas que poderá ser avaliada a condição do percurso, ou seja, se estava nas condições esperadas ou inapropriadas para o seu tipo de negócio. 

São nessas análises que muitas informações são descobertas, podendo trazer muitos benefícios para o negócio. Um exemplo disso é perceber que há um gargalo no fluxo de caixa e, a partir de então, investir em formas de resolver essa situação e ter resultados melhores no futuro.

Política de Privacidade